Sbrafh declara apoio à alteração da Resolução/CFF nº 568/12
O seguimento de Farmácia Hospitalar vem conquistando inúmeras vitórias quanto a inserção do farmacêutico na equipe multiprofissional de saúde por meio da farmácia clínica. O desenvolvimento do farmacêutico hospitalar quanto aos aspectos legais, administrativos, técnicos e clínicos, tem contribuído com o cumprimento da missão de cuidar dos pacientes, primando por sua segurança e qualidade de vida, nas instituições em que prestam seus serviços. 

Tendo em vista sua responsabilidade social de cuidar da população e  formar o nível de complexidade e criticidade envolvidos nos serviços farmacêutico-hospitalares nos dias atuais, a Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar  e Serviços de Saúde declara seu completo apoio à alteração da Resolução/CFF nº 568/12 incluindo o artigo 2º, estabelecendo titulação mínima para a atuação do farmacêutico nos serviços de atendimento pré-hospitalar, farmácia hospitalar e outros serviços de saúde.

A SBRAFH contribuiu na elaboração da proposta, junto ao Grupo de Trabalho em Farmácia Hospitalar do Conselho Federal de Farmácia, dada a necessidade iminente de dispormos de profissionais capacitados a exercer os serviços farmacêutico-hospitalares de forma responsável e  humanizada.

 Caso seja aprovada a referida alteração da Resolução/CFF nº 568/12 , a mesma entrará em vigor em três anos, a fim de que os profissionais e instituições de saúde se adequem à proposta. 

Requisitos propostos como critérios para titulação mínima:

1- Dois anos de atuação na área, comprovados por declaração da empresa onde trabalha ou CTPS;

2- Residência farmacêutica ou multiprofissional na área;

3- Titulo de especialista emitido pela SBRAFH;

4- Pós graduação Latu Sensu na área, reconhecida pelo MEC.

Vale ressaltar que a inclusão do artigo segundo na Resolução 568/2012 não torna proibida a atuação de Farmacêuticos Generalistas, regularizados junto ao CRF, em área hospitalar, quando da ausência de profissionais que cumpram os requesitos. O artigo objetiva valorizar a capacitação profissional necessária para o exercício da Farmácia Hospitalar,  elevando a qualidade dos serviços na geração de resultados clínicos, humanísticos e econômicos que certamente irão contribuir também com a valorização da profissão farmacêutica.